quinta-feira, maio 10, 2007

Andanças

Uma brisa fria na manhã de outono em Porto Alegre. O tec-tec da bota fez-se abrir o sol. Rua da Praia cheia, mãe e filha olham os pássaros, o engraxate cobra 4 reais, senhores debatendo sobre o tornozelo do Tcheco, fiu-fiu, tec-tec, música sertaneja na loja de discos, tylenol a, b, c, d, e; trinta e um centavos, mendigos dormindo no chão - pelo menos estavam cobertos - sinaleira, tec-tec.

- Eu senti esse perfume.

Meu coração dispara, pulsa, praticamente sofre de um ataque cardíaco.

E um abraço forte transforma o intervalo da manhã no paraíso.

Um sinal, ele disse. Isso tudo é um sinal, meu amor.

E 11 meses nos separam de um beijo que mudou pra sempre o desenrolar de nossas vidas.

Caminhos. Era tão óbvio que nessas nossas andanças, eles iriam se cruzar.

Amo-nos, para sempre!

5 comentários:

Silvio Pilau disse...

Muito bem.

Maurício disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maurício disse...

Repito: isso tudo é um sinal. ISSO não passa.

Pree, Wonder Pree disse...

Fica para a eternidade, eu sei.

:)

Donna Troy disse...

WONDERFUL!!!