segunda-feira, outubro 31, 2005

Segunda (como é de praxe) é do Soneto!

Hoje vai esse aqui, que eu acho mimoso (como todos do Quintana, adoro Quintanear, poderia isso até virar um verbo né? um verbo literário, inteligível, melancólico, porto alegrense e com risadinhas de criança no fundo!)

Eu nada entendo

Eu nada entendo da questão social.
Eu faço parte dela , simplismente...
E sei apenas do meu próprio mal,
Que não é bem o mal de toda gente,

Nem é deste Planeta...Por sinal
Que o mundo se lhe mostra indiferente!
E o meu Anjo da Guarda, ele somente,
É quem lê os meus versos afinal...

E enquanto o mundo em torno se esbarronda,
Vivo regendo estranhas contradanças
No meu vago País de Trebizonda...

Entre os Loucos, os Mortos e as Crianças,
É lá que eu canto, numa eterna ronda,
Nossos comuns desejos e esperanças!

::: Graça né? Feira do Livro tá ai e já fiz minha lista com Camões, mais Bukowski e John Fante! Sem esquecer de algum belo livro de sonetos!

Here we go!!!

E ah, ontem assisti "Sunset Boulvd" (Crepúsculo dos Deuses), muito bom, Gloria Swanson estava divina ( me lembrou muito a Betty Davis em A Malvada).
Era isso, ah ...eu não consigo parar de ouvir o John Legend (que pianooooo, melhor que o dele só o do Joaquim Rodrigo no intenso Concierto de Aranjuez..100% desconsertante!) :::

2 comentários:

Silvio Pilau disse...

Acabei de chegar da Feira! Comprei três livros já no primeiro dia, inclusive um de soneto do Camões.

Vamos combinar de dar uma circulada por lá juntos.

Beijos

Nana disse...

Então que assim seja:
Eu quintaneio
Tu quintaneias
Ele quintaneia
Nós quintaneiamos
Vós quintaneiais
Eles quintaneiam

Um beijo.
OPN!