terça-feira, setembro 16, 2008

Una puta ciudad

Meu dindo vivia entre Buenos Aires, Londres, Las Leñas e claro, Porto Alegre. Ele era um cara alto, moreno, nadador profissional, capricorniano, inteligente pra cacete e aventureiro. Alexandre, O Grande, sempre me ensinou a gostar de boas músicas, bons livros, coisas interessantes e diferentes, mas que para uma criança ou adolescente pouco importavam. O biólogo, mestre em letras, doutor em inglês e espanhol me chocou desde sempre. A cada aniversário uma coisa magnânima, excêntrica ou simplesmente curiosa. Os presentes que meu dindo me dava sempre estiveram a frente do meu tempo. E eu nunca entendia os porquês! Hoje, percebo com clareza tudo o que ele fez por mim. Em 1995, no meu aniversário de 12 anos ele me deu de presente um cd do Fito Paez. Eu não entendia e nem sabia o que era e quem era aquele cantor. Aquilo ficou por muito tempo no último lugar da minha pilha de cd's. Anos mais tarde... ouvi e amei. Nesse último sábado lembrei da menina de pernas finas e cabelo crespo cantando circo beat com o encarte do cd nas mãos. Fito Paez foi uma das maiores influências deixadas pelo meu dindo. E é a ele que eu dediquei a noite fria do dia 13 de setembro.

::: Rock'n'roll castellano, tche :::
Fito entrou no palco com uma banda pesada, rockeira e com luzes incrivelmente bem programadas. Começou o show com as músicas novas do Cd Rodolfo - e digo - sinceramente não conhecia nenhuma. Mas já pela terceira canção já comecei a cantar. O público do Pepsi on Stage estava vibrante e vi muita gente conhecida por lá. A banda Killing Burritos com suas guitarras gritantes agradou a gauchada e Fito com seus 3 pianos (um a mais pra decorar) fez bonito indo e vindo pelo palco. A determinada altura do show, empunhou a guitarra e mais uma vez liderou a banda. Tocou clássicos como Circo Beat, Dar es Dar e A Rodar mi Vida. Essa última foi devidamente acompanhada com uma coreografia, com um monte de gente girando no ar as mantas ou simplesmente as mãos. Depois, enquanto Fito Paez emocionava a platéia com um novo arranjo, só com guitarra e voz de Te Ví, eu chorei de canto pois tinha a letra completa e numa linda voz rouca só no meu ouvido! (...)
Para fechar com chave de ouro o argentino fez todo mundo pular e cantar fervorosamente com a saudosa letra de Mariposa Technicolor. O show mereceu estrelas, 5 estrelas. Afinal, como disse Fito, ele estava en una puta ciudad!

5 comentários:

Ci disse...

Puta madre!

Perdi!

pree disse...

Perdeu mesmo!
Mas temos R.E.M em breve, foi?!

Fala garoto, fala garota. disse...

SINTO QUE PERDEMOS SEU JORGE... NUNCA FUI! AMO-AS, SAUDADE, SEXTA NÃO VAI DAR... PELO MENOS PRA MIM.

Ci disse...

Seu Jorge assisti da outra vez... REM talvez... mas não perco Cyndi Lauper!! Girls just wanna have fun!!! A nossa cara!!! Hahahahhahaa

Ai ai ai... q coisa!! Qdo hein??

Transbordando de saudade!!!

pree disse...

Ihh vou ter que me "abster" de quase todos esses show...janeiro tenho férias (lil trip) e em junho um casamento na França (oui je parle fraçais!)...mas pra tudo isso o $$$ vai ter que ficar retido na fonte né?! Hihihihi...

bjos