domingo, junho 10, 2007

Entre chuvas e trovoadas.

Se há um quê de libertinagem nisso tudo, okey. Tem e eu admito. Nem o frio, nem a chuva, nem a queda de luz, são capazes de nos parar. Casa vazia, silêncio. Percebo os raios que queimam o céu. Amo a chuva. A natureza é capaz de manifestar perfeitamente as revoltas do meu coração. Nasci num dia desses. Lembram-me bem. Enquanto Iansã e Xangô se quebram lá nos confins do universo, mandando seus raios e trovoadas como provas de quem consegue brigar, gritar e bravejar mais alto. Nós, simples mortais, estamos felizes nos conforto de um quarto escuro. Eu brigo, sim, grito, também e tenho todo o direito de achar que a chuva é simples e puramente uma influência minha.
Posso?!

2 comentários:

Roberval disse...

what can i say to you, bonita? you must!

pree disse...

Just call me bonita, as usual, and I luv it.