sexta-feira, dezembro 23, 2005

Werther em Goethe, Priscilla em 23/12/2005

"Quantas vezes tenho de ninar o meu sangue revolto até acalmá-lo...Tu sabes que não existe no mundo nada tão instável e tão inquieto quanto o meu coração".

4 comentários:

Leco disse...

Feliz natal pra tu. manda um beijo pra dona Marli .

h. disse...

"Ninguém pode calcular a potência venenosa de uma palavra má num peito amante", já que estamos no setor de dramaturgia européia, my dear S., este o nosso sempre bom W.S.

Pree disse...

H:

"É por isso que trato meu coraçãozinho como uma criança doente, satisfazendo-lhe todas as vontades" (Werther e S.,ambos ainda com Goethe).

sx disse...

sensacional isso! belíssima definição para alguns corações que existem por aí.. tipo assim...
o meu ;p