sábado, fevereiro 13, 2010

40 anos depois


Um filme todo bacaninha pra narrar a história do maior festival de música e cultura do mundo. Gostei bastante porque Ang Lee não valorizou as estrelas que tocaram, não, o personagem da trama foi um ilustre desconhecido. Um judeuzinho que revolucionou uma pequena cidade do estado de Nova Iorque. Mas não vou falar o filme porque vale muito a pena ver. Corre lá que o resto é paz e amor!

Um comentário:

Vini disse...

A mãe judia ganha o filme!