segunda-feira, outubro 22, 2007

Apesar da auto-suficiência de meter medo em quem não usa óculos ou não sabe observar os fenômenos da natureza, sou doce. Provida de extrema compaixão e movida por um senso quase inquebrantável de fraternidade com quem quer o bem. Sou de uma lealdade constrangedora. Sendo capaz de gestos de carinho e consideração e distinção ao próximo (os próximos que elejo mediante rigorosa seleção ética, não moral, mas ética) que derreteriam até o coração de Nero, de Átila e de Hitler.

2 comentários:

Fala garoto, fala garota. disse...

Falando em amigas pensantes... tá pensando bastante hein?
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Pensamentos, voam como o vento...
Beijo B.

pree disse...

Gostar gostar de alguém...

Se preocupar, querer o seu bem!

Nos amo!